Cadastre-se
Afinal, qual compressor de ar comprar para pintura automotiva?

Afinal, qual compressor de ar comprar para pintura automotiva?

Uma oficina que preza pela qualidade dos serviços prestados e que trabalha com foco no reconhecimento e fidelização dos seus clientes, deve investir em equipamentos e produtos que contribuam para a oferta de um trabalho mais qualificado. Entre os diversos itens mais utilizados, um dos que geram muitas dúvidas em nossos leitores é qual compressor comprar.

Sabemos o quanto é importante para uma oficina de funilaria e pintura ter um equipamento que responda adequadamente ao exigido, para dar um acabamento de qualidade e, ainda, facilitar a execução da atividade.

Inscreva-se e receba os melhores conteúdos sobre gestão de oficinas e rentabilidade.

Com um mercado cada vez mais competitivo, a oficina que consegue oferecer um serviço diferenciado se destaca da concorrência, o que contribui para o crescimento da sua cartela de clientes e, consequentemente, do seu negócio.

Neste post, você vai entender mais sobre compressores de ar. Vamos esclarecer as dúvidas sobre como escolher a melhor ferramenta que vai contribuir para um trabalho de qualidade na sua oficina. Acompanhe e entenda mais sobre o tema!

Qual é a importância de comprar um compressor de ar de qualidade?

O principal benefício de contar com um equipamento de qualidade é a garantia da entrega de um trabalho superior para o seu cliente final. Muito embora existam muitas oficinas no mercado, poucas conseguem se destacar pela qualidade do serviço oferecido, e isso pode ser alcançado quando a empresa priorizar o uso de equipamentos de trabalho de qualidade e a capacitação dos seus profissionais.

Por isso, a compra de um compressor de ar é apenas um dos passos necessários para que a sua oficina entregue aos clientes um trabalho com excelência e que esteja alinhado às expectativas deles.

Qual compressor de ar comprar?

Ao começar a busca por ferramentas como essa, é preciso ter em mente que há diversos aspectos técnicos que precisam ser considerados. Entre eles, os mais importantes são: se o compressor será de um ou dois estágios, se será estático ou portátil e tipo hobby ou industrial.

Além disso é necessário verificar a pressão e vazão do equipamento, avaliando se elas são adequadas para atender às demandas de trabalho dentro da sua oficina. A seguir, entenda um pouco mais sobre cada um desses aspectos e como avaliar quais são as necessidades do seu negócio.

Escolher compressor de ar estático ou portátil?

As diferenças entre esses dois tipos de compressores estão relacionadas ao tamanho do serviço a ser executado e se haverá necessidade de deslocamento do equipamento.

O aparelho estático é aquele que vem com cilindro de grande capacidade de armazenamento de ar. Já o portátil não tem o tanque ou é muito menor, podendo ficar ligado ininterruptamente para fornecer o ar necessário.

Existem dois tipos de compressores estáticos:

  • compressores de um estágio: com um pistão para produzir ar em até 150 psi, são indicados para aplicações pesadas de pequeno e médio portes;
  • compressores de dois estágios: utilizam dois pistões para entrega de ar pressurizado de maneira contínua, são muito usados em ambientes industriais.

Os compressores portáteis são indicados para serviços mais leves por serem mais compactos e terem rodas e alças que os tornam mais práticos de transportar. Já os equipamentos estáticos são recomendados para serviços mais complexos.

É preciso ter em mente que a escolha do compressor estático demandará um planejamento a fim de que a oficina tenha um espaço específico destinado para a alocação do equipamento. Esse espaço deverá ser de fácil acesso e permitir que as atividades sejam desenvolvidas de forma satisfatória.

Comprar compressor com qual vazão e pressão?

Para escolher corretamente, de acordo com as indicações de pressão e vazão, é preciso que você saiba qual será o consumo de ar. Para isso, é necessário ter em mãos quantas ferramentas ficarão ligadas ao sistema e quanto cada uma consome de PCM (Pés Cúbicos por Minuto).

Você deve ficar atento para escolher sempre o máximo de PCM possível, com sobra de 30% a mais dos cálculos para sua tranquilidade. Em caso de dúvidas, vale a pena conversar com profissionais que fazem uso desse tipo de equipamento com frequência, eles poderão ajudá-lo a identificar as necessidades da sua oficina frente as opções disponíveis.

Qual fonte de energia sustentará o compressor?

Para isso, basta saber se o ambiente no qual ele será usado terá sempre à disposição energia elétrica, pois, caso contrário, a opção correta é pelo motor movido a gasolina — que, em termos de custos, é bem mais oneroso para manter funcionando.

De forma geral, se indica os compressores de ar movidos à energia elétrica, tanto pela praticidade quanto pelo custo. O uso de combustíveis pode ser arriscado, além de ser mais oneroso para a sua oficina.

Entretanto, vale avaliar de forma objetiva as demandas, fazendo um levantamento de custos de cada um deles e verificando qual das alternativas será mais compensadora a longo prazo. Lembre-se que, em muitos casos, um investimento inicial um pouco mais alto na compra o equipamento elimina custos futuros com manutenções, com compra de combustível ou, até mesmo, com eventuais perdas de clientes em razão do equipamento não funcionar.

Depois de se preocupar com os detalhes técnicos de qual compressor de ar comprar, fique atento à marca escolhida. Procure informações com outros usuários e consulte as garantias que cada fabricante oferece, assim como a rede de assistência técnica.

O mercado apresenta diversas opções de marcas renomadas, que atendem às necessidades de diferentes públicos com qualidade. Caso você esteja inseguro, faça uma pesquisa na internet e veja o que os clientes têm dito a respeito dos produtos e dos serviços oferecidos por marca.

Tomando esses cuidados, a garantia de serviço bem realizado será maior, com um acabamento perfeito e com baixo custo de operação. Vale lembrar que um bom planejamento e a escolha das ferramentas certas são os dois pontos-chave que vão garantir o sucesso e a qualidade no desempenho da sua oficina.

Se essas informações foram úteis para você, que tal aprofundar o seu conhecimento sobre equipamentos para uma oficina e qual compressor comprar? Então,  descubra agora como escolher uma pistola de pintura adequada para a sua oficina.

Comentários (2)

  1. Luiz Fernando
    10 de fevereiro de 2019

    Poderia ter aprofundado mais o comentário.

    Calculo: CV/HP X 4 = PCM
    colocando um exemple.
    Falar sobre os compressores de parafuso rotativo e secadores/resfriadores de ar.

  2. Bruno
    22 de fevereiro de 2019

    “compressores de dois estágios: utilizam dois pistões para entrega de ar pressurizado de maneira contínua, são muito usados em ambientes industriais.”

    Não é bem assim, patrão….
    A matéria (e quem a escreveu) falhou miseravelmente na conceituação.
    1) Compressor de dois estágios: Alcança pressões maiores que o de 1 estágio (até 170 ou 180 psi, frente a 120~140 psi do monoestágio).
    2) Compressor de “rosca” ou “parafuso”: Muito compactos e silenciosos, utiliza fusos para empurrar e pressurizar o ar. Este sim é o único que é capaz de fornecer fluxo constante de ar, além de variar seu passo, aumentando ou diminuindo a rotação dos fusos, altera-se o fluxo instantâneo fornecido. É mais eficiente do ponto de vista energético e mais caro também. Porém tem uma manutenção mais simplificada pela diminuição de peças móveis e tamanho do equipamento.

Dúvidas, elogios e sugestões: deixe o seu comentário!